>Para refletir…

>


Quem sou eu?

Sou bom ou mau? 
Inocente ou culpado? 
Mentiroso ou honesto? 
Traído ou traidor? 
Esperto ou ingênuo? 
Alegre ou triste?  

Por que somos isso ou aquilo 
e não de tudo um pouco? 
Por que preciso me enquadrar 
em uma denominação?

Preciso mesmo? 

Posso ser tão complexo 
capaz de mentir em 
determinados momentos 
e ser verdadeiro em outros? 

Posso? 

Posso! 

Sou mesmo tão complexo 
e não-todo que não me 
importo muito onde 
me enquadro 
ou como me defino 
ou me definem…

sou um sujeito pulsional!


Mariana Anconi

3 thoughts on “>Para refletir…

  1. >O MUNDO DA FOME (P/ todos os Estadistas do Mundo) Essa fome que me estremeceQue me enche os olhos de pedrasE é tanta fome solta pela terraQue no peito a dor me estremece.A fome que por ser vizinha, calaE a que por mim passa, não olhaPor já está solta e abandonadaPor estar presa à hora chegada.Outra fome, também, cravadaÉ a que se tem na alma amargaDor que por nada se acha graçaEssa dor capaz de ver o marE não achar encanto nas águas.A fome que há sobre tantas facesEssa que morre e grita aos lotesUma que está perdida na ÁfricaE pelos Trópicos corre alucinada.A fome que é do mundo, fabricadaQue em mísseis e bomba é lançadaCom tanta formalidade é fabricadaQue Hinos e Bandeiras são hasteadosFardada e com continência caladaQue se espalha, salta de pára-quedasE vira monumentos e pede aplausos.Essa fome tanta, meu Deus, bélicaQue tem leis e ética, toga e decretos.E outra, tísica, que vivendo secretaQue mal fala, mal dorme, mal comeEspalhando terror sobre as cidadesE que enche Hospitais e que intimidaE tira nos dias o sossego das casasE cresce e cresce em multiplicidades.E como que vai enchendo as praçasParece que vai tomando uma cidadeCom olhos frios e de longa esperaEssa, essa que nos certe e tem pressaQue não sei como ambas se parecemUma, de sofisticada, desce e explodeE tanto explode quanto mais espalhaA outra, são os resquícios da miséria. Guina2010

  2. >MISTÉRIOÉ mesmo a alma de um material complexoque se faz e refaz com infinitas partículas de transparência mais fina que o orvalhoque foge ao olho de qualquer microscópioÉ nossa alma mais complexa que os céusporque nela tudo estar e ainda os infinitos e embora seja tão forte como inesperadapode ficar mas frágil que uma flor tocadaA alma de qualquer um é grande e pequenaesse paradoxo eternamente inexplicávelque se fere e adoece por um olhar malvadoAlguém nunca um dia poderá desvendá-lae tem como maior enigma o doar e o amarquando lhes falta ela morre num estalar.Guina

  3. >Parabéns Mariana!!!Mto bonita sua poesia, profunda e complexa como Freud, e de uma sinceridade inexplicável, quem não se questiona?? quem se define?? e que nã é complexo???Parabéns!!!Adoreibjos da nova amiga Laila

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s