>O crime das irmãs Papin

>Boa noite!

Como no momento tenho lido muito a respeito do tema “Psicose” devido a elaboração da minha monografia, decidi compartilhar com vocês este caso estudado por Jacques Lacan na época em que fazia sua tese de doutorado.
As irmãs Papin e suas patroas
Quinta-feira, 2 de fevereiro de 1933, na cidade de Le Mans, província de Sarthe. São cerca de vinte horas; a polícia municipal é chamada à residência de René Lancelin, que não havia conseguido entrar em sua casa, arromba a casa do antigo procurador e, no primeiro andar, encontra a Sra. Lancelin e sua filha assassinadas, com os corpos pavorosamente mutilados e os olhos arrancados das órbitas.
No segundo andar, refugiadas num canto da cama e agarradas uma à outra, as duas empregadas exemplares, Christine e Léa Papin, confessam sem dificuldade haver cometido o duplo assassinato de suas patroas – patroas irrepreensíveis, segundo suas palavras. Um simples incidente insignificante, a propósito um ferro de passar com defeito e de um fusível queimado, parecia haver desencadeado a carnificina sangrenta”.
(Nasio – Os grandes casos da Psicose, 2001, p. 191)
Diante deste contexto, apresento-lhes um caso muito famoso e comentado na época, notícia na primeira página do jornal local La Sarthe.
Le Mans – France
As irmãs Papin eram as empregadas exemplares, que todo patrão gostaria de ter em sua residência. Dedicadas ao serviço, esforçadas ao máximo, para que não houvesse reclamação alguma das patroas. Raramente eram vistas na rua, não tinham amigos, namorado, ou mesmo vida social… “Que estranho!” – comentavam os cidadãos da cidade. 
Christine e Léa não tinham mais contato com a mãe. Esta por sua vez, nunca desempenhou a função materna da maneira “adequada” com sua filhas (que eram três por sinal). Sempre as entregava a outras pessoas e quando quisesse as buscava novamente, exercendo um poder sobre elas, em outras palavras, fazendo-as de objeto. A filha mais velha (Emilia) abandonou a familia para dedicar-se a igreja, já as outras duas (Christine e Léa) foram abandonadas pela mãe e juntas conseguiram o emprego na casa dos Lancelin.
As duas irmãs, abandonadas pela mãe, desenvolveram uma relação simbiótica, ou seja, uma era o espelho da outra, uma completava a outra. No entanto, no decorrer dos estudos, percebe-se que Christine desenvolve uma estrutura psicótica, enquanto que Léa (a mais nova e “frágil”) se deixa influenciar pelos delírios da irmã mais velha.
Nasio (psicanalista) comenta sobre este caso, que, como as duas irmãs sempre viveram juntas, compartilharam do mesmo pensamento, idéias e almejavam as mesmas coisas, isso foi possível para que o delírio de uma contagiasse a outra. Mas, em outros casos isso é muito raro acontecer, ou seja, uma pessoa “normal” (neurótico) se deixar levar pelos delírios de um psicótico.
Irmãs Papin

Bom, as irmãs tinham um forte sentimento de abandono e viram na Sra. Lancelin a figura materna que faltava em suas vidas, tendo até um momento que chegaram a chamá-la de mãe. Através desta transferência extremamente forte e positiva, as irmãs conseguiram desempenhar um papel aceitável na sociedade – até certo momento!
Eis que chegou o dia em que as estruturas psíquicas balançaram e, num momento súbito, aquela transferência positiva se transformara em negativa, devido a um olhar da patroa de reprovação e insulto direcionado às irmãs. Que péssimo para as patroas…Porque uma vez que o psicótico se sente ameaçado, ele faz de tudo para se proteger! De tudo mesmo, até arrancar os olhos do outro que lançou o “olhar invasivo”, que foi o caso. 
As duas vítimas

E no fim da história, as irmãs são presas, Christine de fato surta na prisão, apresentando ataques violentos contra os outros e a si mesma, morre por lá mesmo. Léa condenada a dez anos de trabalhos forçados, saiu da prisão por conduta exemplar, e voltou para junto da mãe Clémence, com quem viveu até o fim de seus dias. E como Nasio disse em seu texto: “Foi essa a história das irmãs Papin, filhas de Clémence: Emilia foi destinada a Deus, Christine à loucura e Léa à Clémence, sua mãe”.
Gostaria de comentar muito mais a respeito, pois este é um caso rico em informações sobre esta estrutura psíquica, mas não quero me estender muito neste post! 
Até a próxima …
Mariana Anconi

10 thoughts on “>O crime das irmãs Papin

  1. >Olá Mariana!Ah quantas coisas a dizer, esta postagem/ assunto é riquíssimo!Estava lendo este caso recentemente e me fez pensar sobre o quanto é forte a influência da estrutura psicótica em Lacan desde sua tese de doutorado em Medicina… e o quanto suas elaborações também se mostram na 2ª clínica. E J. Nasio tem um estilo muito específico, adoro este livro dele, o cap. sobre o Caso Schreber me ajudou muito no ano passado! :)Qual o tema da tua monografia?Beijos

  2. >Cai, assustadoramente, o número de casais de mãos dadas nas cidades grandes; cresce, por outro lado, a imundice da imoralidade nos olhos dos homens, cujo estado de degenerecência moral e de caráter decorre do avanço sofisticado da cultura indecente das sociedades modernas, apelidadas de neo-modernas ou neo-industriais. Aumenta-se, por sua vez, o número de tristeza nas almas das pessoas, que são devoradas pelas torpezas de um cotidiano demoníaco e implantado por uma economia predatória. Por isso o poeta grita, dizendo:MÃOS DADASMãos dadas não importa comoNem de que jeito elas são dadasO importante é que vão atadasFormando o encontro das almasMãos pacientes criando o amorNão importa como se agarram O importante é que vão juntas Cheia de tato, carinho e ternuraMãos dadas que tecem uma luzTão divina quanto a luz do Sol Formosa luz como uma linda florMãos que firmes se entrelaçamE agora mutuamente fundidas Do amor fazem eterna premissa.Guina

  3. >Oi Mariana, eu tenho um anseio mui grande de fazer psicologia, mas ainda n tive oportunidade, achei muito interessante seu blog.Parabéns. e essa história é inigualável.Um super bj.Conheci Sao Luis esse ano. rs

  4. >Olá Joelma!Ainda não sabe se faz Psicologia? Pesquise mais, leia mais, isso me ajudou muito quando fui fazer minha escolha profissional!Obrigada pela visita, volte mais vezes!!Gostou da Ilha?Beijos!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s