Impressões

Para alguns leitores…

Queria esclarecer uma coisa antes de escrever o post de hoje. Os textos que escrevo aqui não tem necessariamente a ver comigo. Escrevo sobre coisas que vejo, que ouço falar, que me chamam atenção, e claro, também, falo de mim em alguns. Portanto, sugiro que em vez de pensarem sobre quem ou para quem escrevo, pensem no conteúdo e na mensagem que quero passar, isso com certeza é mais importante…=)

—————————

Bom, faz 1 mês que estou na cidade da garoa, e ainda me surpreendo com algumas coisas que vejo por aqui. Coisas boas e outras nem tanto!

Já passei por situações que pra mim foram novidade, tipo: ficar presa no metrô por falta de energia, e ter que socorrer uma mulher com claustrofobia! Ser surpreendida toda hora no meio da rua com alguém querendo fazer uma pesquisa sobre a novela das 7h, ou sobre política, etc. Sair de casa de manhã MORRENDO de frio e voltar a tarde suando de calor, ter que andar até o farol e virar a direita, sendo que farol pra mim não é semáforo! Descer numa estação do metrô e ter uma plateia assistindo uma comédia stand up, ou mesmo estar andando na rua e me deparar com uma orquestra!

Enfim, dá pra ver o quanto de coisa boa a cidade tem a oferecer, principalmente em relação a programas culturais. Exposições de quadros e esculturas você consegue ver nas estações de metrô tranquilamente, no meio do povo correndo e se esbarrando! Por outro lado, você topa toda hora com a realidade do país: mendigos dormindo na rua, cobertos por um plástico, por exemplo.

Atualmente, atendo num hospital-escola, e vejo o quanto a população é carente, como em qualquer outro estado, mas devo admitir que o serviço oferecido é de qualidade, pelo menos no departamento que estou, isso é fato. Fico no departamento de pediatria, na disciplina de nutrolgia, ou seja, chegam até nós crianças desnutridas, obesas, com distúrbios alimentares, deslipidemia, e sabemos que o problema dessas crianças vai muito além da alimentação! Elas passam por três setores: medicina, nutrição e psicologia. Contudo, essa realidade não é para todo o estado, infelizmente!

Em minhas andanças, registrei alguns momentos que me chamaram atenção:

Bela Cintra

Stand up na estação de metrô Consolação

Show de stand up na estação Consolação

Música em meio a correria

Cidade de paradoxos, contradições, correria, tumulto, injustiças. E que no meio disso tudo, encontra espaço para a cultura, para o lazer, entretenimento. Afinal de contas, o homem não vive só da pulsão de morte!

Mariana Anconi

9 thoughts on “Impressões

  1. Olá Mariana, eu aqui de novo…Gostei demais de seu post e da forma como vc vê e descreve SP, ainda não fui aí, tenho muita vontade, mas a falta de planejamento não me levou as terras da garoa. Enfim, você falou de estar num Hospital, trabalhando não é? Queria saber um pouco sobre o assunto, vc não está como residente nesse Hospital, mas sim como parte do quadro profissional, é isso? Como é que vc realiza seu trabalho? Trabalhas com a psicanalise ai não é? Tenho uns materiais sobre o trabalho do analista em hospital (inclusive dai de SP), qqr coisa, te disponibilizo.

    Aguardo retorno!

    😀

    • Oi Pollyanna,
      Estou na UNIFESP realizando um curso de Atualização Profissional em Psicologia aplicada a Nutrição. Atendo as crianças no departamento de pediatria/disciplina de nutrologia. Os atendimentos são feitos nos ambulatórios. O trabalho é realizado por uma equipe composta por médicos (residentes, estagiários, etc), nutricionistas e psicólogos. No setor de psicologia, os atendimentos são baseados na teoria psicanalítica. Se tiveres algum material, eu gostaria de ter acesso, se possível!

      Grande beijo!

      • Olá Mariana, muito bacana a proposta desse curso de extensão, acho que você poderá trabalhar bem com a psicanalise no hospital, no setor de pediatria. Não sei qual a demanda que vocês atendem com maior frequencia, não se poderia pensar apenas em desnutrição, mas também em recusas alimentares, “anorexia”, obesidade, enfim, você poderia me dar detalhes depois. Ainda assim, vou te mandar alguns textos por email e, de antemão, você pode pensar em algo aí (nesses sintomas) da alienação-separação ao DM, acho que o seminario 4 te ajudará a trabalhar bem essas questões bem primordiais da relação da mãe com a criança.

        espero ter ajudado…

        😀 Beijos

      • Oi Polly,

        Primeiramente, obrigada pelos textos. Já li alguns e acho que poderão me ajudar a correlacionar a teoria de Lacan com as questões nutricionais infantis. Bom, na Unifesp acompanho vários ambulatorios, e vejo casos sim de anorexia, bulimia, desnutrição e principalmente obesidade. Muitas questões esbarram no DM e nos conceitos de alienação e separação. Hoje mesmo atendi uma mãe que não consegue estabelecer uma separação com a filha, e isto está influenciando no tratamento e nas condutas nutricionais. Vou retomar os seminários 11 e 4 de Lacan, que poderão me ajudar!
        Obrigada pelas dicas, espero podermos trocar mais informações …!
        Beijos!!

  2. Mariana,

    Acertou em cheio, Sampa a cidade dos paradoxos!!!
    Sempre me recordo da canção de Caetano: “Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso”…

    Beijo

    Sampa – Caetano Veloso

    Alguma coisa acontece no meu coração
    Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
    É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
    Da dura poesia concreta de tuas esquinas
    Da deselegância discreta de tuas meninas

    Ainda não havia para mim Rita Lee
    A tua mais completa tradução
    Alguma coisa acontece no meu coração
    Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João

    Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
    Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
    É que Narciso acha feio o que não é espelho
    E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
    Nada do que não era antes quando não somos mutantes

    E foste um difícil começo
    Afasto o que não conheço
    E quem vende outro sonho feliz de cidade
    Aprende depressa a chamar-te de realidade
    Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

    Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
    Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
    Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
    Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
    Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva

    Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
    Mais possível novo quilombo de Zumbi
    E os novos baianos passeiam na tua garoa
    E novos baianos te podem curtir numa boa

    • Nossa Marcelo, não lembrava dessa música!
      Fantástica que ela é, caiu perfeitamente neste post, e fala também um pouco como me sinto aqui! rsrs
      Obrigada pela contribuição !

      Beijão!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s