Passado presente

*Para ler escutando: Le Moulin – Yann Tiersen

Pessoas. O bem mais precioso que temos na vida. Olho para trás e as lembranças invadem minha mente. Lembranças de pessoas que conviviam comigo, e que, hoje estão distantes, não só fisicamente. Memórias lacônicas outras nem tanto.

O que faz com que em determinados momentos voltemos ao passado para reviver? Lembranças que renovam, que atualizam amores, pessoas, espaços, amigos, parentes, objetos, tudo. O que dizer do que já foi quando o que virá ainda é promessa? Desejamos o futuro, enquanto o presente se transforma no passado em segundos.

—————

Uma carta. Guardada há tempos, mas que renova o espírito jovem de quem um dia amou e foi correspondido. Palavras escritas a mão, a tinta que borra e deixa marcas. A frase que transborda a emoção de quem remete suas impressões. Detalhes de tempo, espaço e conteúdo no canto da folha. O rigor da escrita de quem um dia desejou o destinatário em questão. Verdades expressas em letra cursiva, desenhando sentimentos de idealização e realização. O duplo sentido gerando novas possibilidades. A esperança renovada a cada linha, cada vírgula, ponto de exclamação. Dúvidas expostas num vocabulário contido em seus excessos. A singularidade de quem escreve e exporta sua subjetividade a outrem distante, igualmente esperançoso.

Uma foto. Uma vida esquecida, mas que em segundos volta a mente num turbilhão de lembranças que trazem á tona sentimentos já conhecidos, já vividos. Prazerosos ou não. Retornam. No embalo da nostalgia, outras fotos aparecem, sem pudor, sem pedir licença, compondo um quadro frente aos olhos. Quase um filme já visto pelo expectador.

Um perfume. O cheiro que um dia esteve presente, sonhado no futuro e atualmente no passado. Devaneios ocasionados pela essência e fragrância de quem passou e agora voltou no fantasma da imaginação. Mas tão real, igual outrora. Perfume que não se encontra nas lojas, mas quem sabe, nas mentes mais saudosas.

Memória que aquece, que nos transporta para outro lugar e época. Dá novos sentidos as questões atuais. O passado que se atualiza no futuro, de maneira extraordinária. Fragmentos de declarações, frases de efeito, palavras ao vento, lembranças de uma vida que não volta. Como dizia o mestre “recordar, repetir e elaborar”.

Recordo para viver, repito para gozar e elaboro para seguir.

M.A.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s